No período de 2003 a 2013, obteve-se um grande crescimento de empregos na área da engenharia. Com a expansão de setores como produção industrial, naval e de petróleo, o crescimento do PIB e o avanço das obras de infraestrutura, aumentou-se a procura pela área. Alavancada pelo aquecimento da atividade econômica, a profissão prosperou: foram formados e recrutados milhares de profissionais em construção civil, energia, petróleo e gás, com estímulo à produção e o incremento da infraestrutura nacional. Contudo, a desaceleração econômica dos últimos anos, agravada por denúncias de corrupção, afastou investimentos, paralisou obras e arrefeceu o mercado de trabalho.

Fatores como a Operação Lava Jato, em que diversas empreiteiras envolvidas foram aos tribunais, paralisando obras e demitindo milhares de funcionários, colaboraram com tal paralisia. Setores antes tão promissores para engenheiros, como indústria, construção civil, petróleo e gás, no momento não têm sido dos mais motivadores para estes profissionais.

João Xavier, especialista em recursos humanos, acredita que não podemos atribuir toda a culpa dessa paralisia à operação Lava Jato. A redução dos empregos na engenharia se agrava juntamente a um sistema corrupto que se interpôs entre empreiteiras e governos nas negociações de obras e serviços. O especialista ainda afirma que sempre haverá boas oportunidades para os engenheiros, visto que muitas áreas possuem destaques promissores para os profissionais da engenharia. Dentre elas, a comercial, relacionada a vendas técnicas, a de Pesquisa & Desenvolvimento, diante da necessidade constante de inovação, e na manutenção, que apesar de estar sentindo fortemente o impacto, é atividade essencial para as indústrias e grandes instalações comerciais.

É evidente que o mercado de trabalho é hostil para qualquer área, e sempre há um jogo de forças entre o capital e o trabalho. Valoriza-se, hoje, o trabalho criativo, independentemente da área. Esse, nunca poderá ser substituído pela tecnologia. A engenharia civil, felizmente, é bastante ampla e versátil, com oportunidades em projetos das mais diversas naturezas, manutenção e facilities (instalações) comerciais, obras, além de Pesquisa & Desenvolvimento.

Para obter sucesso profissional, o Engenheiro Civil necessita pensar e buscar soluções criativas e econômicas para os mais diversos problemas da sociedade, baseando-se em critérios de sustentabilidade e otimização de recursos; atento aos reflexos sociais e ambientais dos seus atos e, nesse contexto, encontrar soluções que sejam adequadas no âmbito político, social, econômico e ecológico.

A versatilidade da profissão, principalmente para atuar nas áreas comercial, pesquisa & desenvolvimento e manutenção, ajuda a manter o mercado aquecido.

Por: Lucas


Referências

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,engenheiros-voltam-a-atuar-em-outras-areas-,1773665

http://www.cimentoitambe.com.br/crise-vagas-para-engenheiros/

http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=0&Cod=628

http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=0&Cod=1921

http://www.institutodeengenharia.org.br/site/noticias/exibe/id_sessao/4/id_noticia/9574/Engenharia-%C3%A9-uma-das-profiss%C3%B5es-mais-afetadas-pela-crise-econ%C3%B4mica

Anúncios