Em virtude da desenfreada urbanização, as áreas verdes estão ficando cada vez menores, ocasionando em grandes concentrações de ilhas de calor, poluição ambiental, enchentes e diversos problemas ambientais. Nesse contexto, o telhado verde surge como proposta de solução para questões de sustentabilidade em grandes metrópoles.

O QUE É?

O telhado verde, também conhecido como telhado vivo, ecológico ou biocobertura caracteriza-se como um sistema de arquitetura que permite o cultivo e o crescimento de uma área verde, seja com plantas ou hortaliças, sobre uma laje inclinada ou plana impermeabilizada.

Apesar dos Telhados Verdes ainda serem uma novidade no Brasil, ele teve sua primeira aparição em 600 a.C. na antiga mesopotânia, conhecido como “Jardins suspensos da Babilônia” e faz muito sucesso em outros países.

PROCESSO DE CONSTRUÇÃO

Na construção dos telhados verdes, deve-se atentar-se na escolha das plantas, para futuramente não provocarem infestações de pragas. Por isso, a vegetação escolhida deve ser de fácil manutenção e resistentes ao sol e ao vento, levando em conta as condições climáticas do local. Ademais, necessita considerar a carga adicional do telhado verde sobre a edificação.

O processo de construção para uma cobertura eficiente carece de camadas funcionais, tais quais:

a) Membrana de impermeabilização (lona vinilica, manta plástica, etc.): impede a passagem de água, protegendo a construção, para que não haja infiltrações;

b) Camada de drenagem (brita, geotêxtil, cacos de telhas, refugos da indústria cerâmica, etc.): faz com que a água em excesso escoe para os drenos, permitindo a impermeabilização da construção;

c) Camada vegetal – Substrato (terra): contém os nutrientes necessários para o crescimento da vegetação, além de servir para a fixação das plantas. O substrato também auxilia no processo de drenagem;

d) Cobertura (serragem, refugos da indústria de madeira, etc.): impede a erosão e a danificação das camadas do telhado verde;

e)  Nível de plantas: camada de cobertura vegetal, que deve ser escolhida de acordo com critérios como a resistência da estrutura na qual será construído o telhado verde.

  Ademais, a extensão do telhado verde resultará no aparecimento de mais algumas camadas, como:

 f) Camada de proteção: controla o crescimento das raízes que seriam danosas ao sistema;

g) Camada filtrante: tem como função separar as camadas de cobertura da camada drenante. O filtro retém materiais orgânicos, que ficam disponíveis para as plantas e evita o entupimento dos drenos.

TIPOS DE TELHADOS VERDES

  Os telhados verdes podem ser divididos em três tipos, sendo eles: a extensiva, intensiva e semi-intensiva.  

As coberturas extensivas consistem em uma vegetação mais simples, resistentes, com uma aparência mais natural e capazes de se adaptarem a secas extremas. Além disso, possui uma sobrecarga menor sobre a estrutura da edificação, logo pode ser instalado em telhados inclinados.

Por outro lado, as coberturas intensivas só são viáveis em edificações com coberturas sem inclinação. Elas podem ser usadas como área de lazer, pátios, playgrounds, etc., sendo necessária uma cobertura mais complexa de implantação e com altos custos à manutenção.

Por fim, o sistema semi-intensivo possui uma camada de substrato mais profundo em relação ao modelo extensivo.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

  Nota-se que o telhado verde traz uma mudança na qualidade do ar, uma vez que reduz os efeitos causados pelas ilhas de calor, uma vez que a energia obtida através da luz que as plantas captam na fotossíntese, uma pequena parcela é utilizada para a fotossíntese, outra parcela é armazenada no sistema aquoso e o que sobra é transformado em calor e parte dele é refletido. Ademais, auxilia na retenção e fluxo de águas pluviais, age como isolante térmico, reduz o consumo de energia elétrica, além de propiciar um conforto visual.

Comparação da energia solar sobre as superfícies
Fonte: Silva, Siqueira e Aragão, 2016

Em contrapartida, pode-se elencar como desvantagens o alto investimento inicial, necessitando também de uma mão de obra qualificada, e possível surgimento de pragas devido à falta de manutenção.

REFERÊNCIAS 

https://casacor.abril.com.br/sustentabilidade/telhado-verde-o-que-e/

SILVA, Franciele C. M.,SIQUEIRA, João P., ARAGÃO, Simas F..Telhados verdes e seus benefícios à sociedade e ao meio ambiente.

http://www.petesa.eng.ufba.br/blog/telhado-verde-um-passo-para-uma-cidade-sustentavel

https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS-9AEGBV/1/telhado_verde__sistema_construtivo_de_maior_efici_ncia_e_menor_impacto__ambiental.pdf

https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/artigo_telhado_verde.pdf

Escrito por: Bianca de Oliveira Melo.
Arte de capa por: Guilherme Henrique.