O III CONPET – Congresso Nacional dos Grupos PET de Engenharia Civil, evento que busca promover a interação entre os docentes e discentes participantes do Programa de Educação Tutorial de Engenharia Civil, visando a troca de experiências e conhecimentos, aconteceu nos dias 21 a 24 de abril de 2016. Foi sediado neste ano pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), localizada na cidade de Curitiba, e teve como tema “Os desafios da educação em Engenharia Civil”. Com uma ótima programação, o Grupo PET de Engenharia Civil da UFPR superou as expectativas e realizou um excelente evento para todos os participantes.

O congresso contou com a presença de quase 100 pessoas vindas de mais de 10 grupos PETs de todo o Brasil, sendo a maioria deles do Sul e Sudeste. É possível notar o aumento do alcance deste evento, por meio da participação pela primeira vez de um grupo do Nordeste do país, o PET Engenharia Civil da Universidade Federal do Ceará (UFC). Esta universidade, além de participar do evento de forma inédita também teve o intuito de nacionalizar e dar melhores oportunidade para grupos do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, se tornando, então, a próxima sede do IV – CONPET que vai ocorrer na cidade de Fortaleza – CE.

O Grupo PET de Engenharia Civil da UEM participou em peso do evento, foram eu – Gabriel Souza da Silva –  e mais 17 alunos, totalizando 18 Petianos, somado ao nosso grande Professor Tutor Jeselay H. C. dos Reis.

23

O evento iniciou na Quinta (21) com a realização de todos os credenciamentos. Como chegamos bem cedo em Curitiba e fomos quase os primeiros a fazer o credenciamento, tivemos um tempo livre e aproveitamos para fazer uma visita ao Jardim Botânico. No meio da tarde, tivemos a abertura do evento e logo em seguida, uma das palestras, com o título “O ensino da Engenharia Civil e seus atores principais”, ministrada pelo Professor Marcos José Tozzi, graduado em Matemática pela PUC – PR, Engenharia Civil pela UFPR, mestrado MSc in Engineering pela University of Califórnia e doutorado em Engenharia pela USP. Foi uma palestra muito motivacional, inspiradora e de bastante conteúdo que com certeza mudou o modo de pensar de cada um que esteve ali presente. Tozzi frisou muito bem o tema de sua apresentação, fazendo-a com magnífica excelência. Particularmente, antes dessa palestra existiam várias incógnitas que me fazia refletir sobre a possibilidade de querer lecionar, mas após ela, não tenho dúvida de que desejo estar envolvido com a área acadêmica e um dia poder ser professor e engenheiro como esse palestrante que tivemos o prazer de assistir. Após a apresentação do Professor Tozzi tivemos um excelente coquetel de abertura – comida não faltou neste evento – e depois estávamos liberados para irmos ao alojamento.
4

No dia seguinte, Sexta (22), fomos recebidos com um delicioso café da manhã. Após estarmos satisfeitos, tivemos uma parte do evento muito interessante chamada de “Experiências PET”, nela todos os grupos PET apresentaram as experiências que tiveram ou estão tendo dentro das suas respectivas universidades. Considero essa etapa muito importante, porque são muitas ideias legais e interessantes que podem ser utilizadas por outras universidades, auxiliando no desenvolvimento de todos. Logo em seguida, foi iniciada a palestra com o tema “Desafios da Gestão da Água e o Saneamento – Perspectivas para os próximos 10 anos”. Dada pelo Professor Cristovão Vicente S. Fernandes, formado em Engenharia Civil pela UFPR, doutor em Engenharia Civil pelo Environmental Engineering Department da Universidade de Toronto, e em 2011, concluiu o estágio de pesquisa de pós-doutorado na Colorado State University. Foi uma apresentação muito interessante, pois tratou de um assunto muito comentado e pontual nos dias atuais, que é a dificuldade de gerir o saneamento da água.

Encerrada a palestra do Professor Cristovão, tivemos o almoço no Restaurante Universitário (RU) e ao voltar foi o momento dos “Grupos de Discussão”. Os quase 100 participantes Petianos e Tutores se dividiram em 4 equipes, sendo elas com seus respectivos temas:

GD 1 – Novas estratégias e práticas pedagógicas no curso de Engenharia Civil

GD 2 – Dificuldade na elevação da Qualidade Acadêmica

GD 3 – PET como consolidador e difusor da Educação Tutorial

GD 4 – Prática da articulação da tríade: Ensino, Pesquisa e Extensão.

5

Nessa ocasião, cada grupo discutiu e debateu seu tema no intuito de ouvir as ideias dos que estavam presentes, a fim de chegar a uma conclusão agregadora de informações. O debate foi muito produtivo na minha opinião, participei do GD – 2 e pude ouvir várias opiniões de variadas pessoas sobre os desafios da elevação da qualidade acadêmica. Apesar de polêmicos, esses debates servem não somente para discutir esses temas, mas também para abrir a mente dos alunos ali presentes e formar pessoas conscientes. Ainda na sexta-feira tivemos mais um Coffee Break e em seguida uma mesa redonda com o título “Os desafios da educação na Engenharia”, com os Professores Doutores Sérgio Scheer, Eduardo de Senzi Zancul e Julio Gomes, atual coordenador de curso da UFPR. Como não somos de ferro, para finalizar o dia tivemos o jantar e uma integração no alojamento com todos os PETs.

O Sábado (23) também foi de muita movimentação. Chegamos logo pela manhã e fomos recebidos novamente com um belo café da manhã que nos deu energia para a surpresa que ainda estava por vir.

Uma competição de Engenharia foi preparada pela organização do evento, esta consistia na agilidade de montar algumas miniestruturas. Esta habilidade envolve um projeto muito promissor que vem ajudando engenheiros e arquitetos a visualizarem suas ideias, o conhecido “Projeto Mola”. Para quem ainda não conhece, o projeto mola foi criado pelo arquiteto brasileiro Marcio Sequeira de Oliveira e simula o comportamento de estruturas arquitetônicas em escala real com molas. Foi uma atividade divertida que treinou a capacidade de tomar decisões difíceis e de trabalhar em equipe. A equipe que participei ganhou o terceiro lugar.

6

7

Depois que nos divertimos foi a hora de termos mais uma palestra magnífica, o tema foi “A participação do Engenheiro Civil no desenvolvimento de uma nação”, ministrada pelo Professor Carlos Henrique Siqueira, que é graduado pela Escola de Engenharia da UFPB, possui especialização pela UFRJ e é mestre e doutor em Ciências pela UFF. Ele foi supervisor das obras da ponte Rio-Niterói, como também, coordenador e responsável pela vistoria e manutenção da mesma. Foi uma palestra espetacular, nela o Engenheiro teve uma conversa com todos os participantes, tentando demonstrar o real significado da engenharia. Como lição dessa palestra, levo para mim que escolher ser engenheiro não é uma profissão fácil, você construirá obras que levarão seu nome para o resto da sua vida, responsabilidades sobre a vida de muitas pessoas, comprometimento com uma nação e também com a economia de um país, pois tudo isso envolve o seu trabalho. Então caro amigo, peque pelo excesso e não pela omissão. Estude muito, dedique-se e seja o Engenheiro que a sua nação realmente precisa. Você precisa saber resolver os problemas que aparecerem, de maneira certa, responsável e segura.

No início da tarde iniciou-se a etapa de apresentação de trabalhos, nela todos os PET apresentaram trabalhos das mais variadas formas. Nós fomos muito bem representados pelo Petiano João Pioli e pela Petiana Amanda Zottis que falaram sobre “A inserção do PET Engenharia Civil no UNIPET”. Apesar de um pouco cansados, nos dividimos em dois grupos e assistimos todas as apresentações, pois dali também poderiam sair ideias que seriam muito bem-vindas a nossa instituição de ensino.

8

Encerrada a apresentação dos trabalhos e após o coffee, realizou-se a última palestra do evento apresentada pela Arquiteta e Urbanista Luisiana Paganelli Silva, que falou sobre o “Processo de Planejamento Urbano de Curitiba”. Nessa palestra aprendemos processos de planejamento urbano de Curitiba desde a sua criação até os dias atuais. A arquiteta também nos mostrou trabalhos que estão sendo e também aqueles que serão implantados em Curitiba, como projetos de ciclovias, estradas e muitos outros. É de admirar toda a organização e planejamento existente em Curitiba, não é à toa que aquela linda cidade é a capital do Paraná. Ao fim da palestra, deu-se início ao encerramento do evento, nela a organização teve a oportunidade de fazer os agradecimentos e a votação para a sede do próximo evento que ficou para a Universidade Federal do Ceará em Fortaleza. Para fechar com chave de ouro, a organização preparou uma Festa Oficial do Evento, todos os presentes puderam se divertir permitindo uma ainda maior interação entre os integrantes.

Em suma, o legado do evento CONPET é que não engloba apenas assuntos sobre o PET ou sobre as áreas específicas da Engenharia Civil, mas também conteúdos sociais, humanos e filosóficos sobre a Engenharia, sobre o papel do Engenheiro na sociedade, a importância do engenheiro e sobre a arte de poder engenhar. Sem medir palavras, o III CONPET sediado pela Universidade Federal do Paraná foi excelente. Tiveram sim alguns erros, mas com toda certeza os acertos prevaleceram. O PET Engenharia Civil UFPR está verdadeiramente de parabéns pela organização. Esperamos ansiosos pelo IV – CONPET em Fortaleza torcendo para que o evento continue a crescer mais e mais, até que abranja todos os PET de EC do Brasil.

9

Anúncios